Toronto – Vapt Vupt!

Opa, demorei mas cheguei! Os últimos dias foram bem complicados e corridos e por isso o atraso no post! Mas pra deleite de muitos hoje vamos dar uma voltinha por Toronto, capital da província de Ontário e considerada a capital financeira do Canadá. São mais de 6.1 milhões de habitantes na região metropolitana e desses 52,4% são compostos por imigrantes vindos de todas as partes do mundo.

Andando pelas ruas de Toronto essa informação fica evidente: você pode ouvir mais de 140 línguas diferentes, sendo que chinês, italiano, punjabi, filipino e português são as cinco mais faladas. É a cidade mais multicultural do mundo! E quer saber? Na minha humilde opinião uma das cidades mais charmosas também!

A minha passagem por Toronto foi aproveitando um stopover grátis que a Air Canada me ofereceu voltando de Vancouver para São Paulo. DICA: Não deixe de ver no momento da compra da passagem se está incluso o direito de parar em algum ponto de conexão do seu voo. Caso a taxa para incluir o stopover não esteja fora do seu orçamento considere ficar alguns dias e aproveitar a cidade.

No meu caso eu fiquei na cidade durante 5 dias, infelizmente durante o feriado de Thanks Giving. Infelizmente eu digo pelo volume de gente no aeroporto e por ter pegado a cidade fora dos dias normais de agito.  Como alternativa barata de hospedagem durante o feriado eu consegui reservar uma vaga em uma casa de família indicada por uma amiga a U$ 37,50/noite. Uma barganha visto os preços de hospedagem na cidade. Principalmente porque a casa era bem localizada: duas quadras da estação St Clair West do metrô.  Um espetáculo!   Aliás espetáculo é o sistema de transporte público dessa cidade! O metrô de Toronto conta com quatro linhas que levam a um total de 69 estações. Tá bem, o metrô é um pouco sujo comparado com o Skytrain de Vancouver, mas a eficiência é impressionante. 
DICA:
Fique atento para comprar o seu ticket (que na verdade é uma moedinha danada de ruim de conseguir guardar e não perder) antes de entrar na estação ou tenha certeza que você tem dinheiro trocado para comprar o ingresso nas máquinas. Nas estações mais longes do centro é bem complicado conseguir alguém pra explicar o caminho das pedras.  Essas mesmas moedinhas você pode usar para pagar os ônibus elétricos (os charmosos Street Cars) e normais. Com exceção das linhas “99” e “171”, todas as demais linhas fazem conexão com as estações de metrô. Fácil né?!

Como o número de atrações era grande, o dinheiro curto e o tempo pequeno eu tratei de começar logo varrendo toda a região central de Toronto a pé. Fiz andando todo o percurso de um sightseeing que eu peguei o mapa na rua. Não faça isso. Andei um total de 27km em um único dia e cheguei morta em casa (mas com as pernas tonificadas e com ótimas fotos!). Caso seu orçamento permita vá com calma e demarque regiões de interesse e se desloque entre elas de forma mais eficiente (agora se você for apaixonado por conhecer cada cantinho, como eu, prepare-se com um tênis bem confortável!).

Eu comecei o super ambicioso roteiro em frente da Union Station. Esta estação é usada como referência para saída de muitos passeios na cidade de Toronto e também ao redor. Caso você esteja hospedado nos hotéis da região procure ver se os passeios podem fazer uma parada estratégica próximo a você. Andando ali em volta você consegue observar a CN Tower de vários ângulo, o Rogers Centre e um pouco mais a frente o Harbourfront Centre: de frente ao lago Ontário (belíssimo!).

Eu particularmente deixei a visita na CN Tower para o horário do por do sol! E foi uma boa pedida… cheguei um pouco antes de começar o espetáculo do sol se pôr e da lua começar a brilhar! Até a inauguração do Burj Dubai a CN Tower era a torre mais alta do planeta. Hoje é apenas a mais alta do Ocidente e leva 58 segundos para que o elevador atinja os 346m (a estrutura toda da torre tem 553 metros). DICA: fique atento a previsão do tempo para visitar a torre. Escolha um dia de céu limpo e pouco vento para que você possa aproveitar todos os observatórios =) Fique atento também ao horário de fechamento… você demora um pouco para passar no procedimento de segurança e se estiver em cima da hora pode acabar comprometendo a sua visita!

Andando pela Front Street fui caminhando em direção ao Distillery District (são uns 3km de distância, então avalie se você está com pique para a caminhada!). Passei pelo St Lawrence Market (infelizmente estava fechado por ser um domingo :/) que fiquei BABANDO de vontade de voltar depois (mas num deu tempo 😦 )e também pelo Hockey Hall of Fame (a menos que você conheça e seja apaixonado pelo hockey não perca muito do seu precioso tempo ali…).

Em alguns minutos (e muitas fotos depois!) eu cheguei ao meu destino: o Distillery Historic District. Alí é onde funcionava, em 1832, a destilaria Gooderham and Worts. A empresa se tornou a maior destilaria do mundo e, depois de 153 anos produzindo bebidas alcoólicas – entre as quais uísque e rum -, o empreendimento deixou de funcionar. A partir de 2001 a área foi restaurada e conservada a fim de abrigar um dos melhores centros de entretenimento de Toronto. E também, na minha opinião, é entre esses predinhos vitorianos que você encontra a melhor concentração de lojas de jóias, roupas e produtos com design da cidade, além de ter algumas boas opções de restaurantes e de galerias de artes. Um xuxuzinho! Eu me diverti muito e ainda enchi os olhos com tanta produção de qualidade! Esvaziei os bolsos também… mas valeu cada dólar!  Infelizmente eu estava com o tempo contadinho e o meu roteiro era ambicioso. Mas se você puder passe a tarde por lá! Vale a pena!

Continuando o roteiro segui em direção de downtown por mais alguns quilômetros. Cheguei em meio a onde as coisas acontecem! E mesmo em meio ao feriado as coisas realmente estavam acontecendo por ali! Região da Dundas e da Yonge Street,  no famoso Yonge-Dundas Square! Sempre acontecem eventos gratuitos, então esteja atento! No meu caso eu presenciei um jogo de basquete de rua divertidissimo ali!

A poucos metros dali ficam as prefeituras. Isso mesmo, prefeituras no plural!  A antiga prefeitura foi construída nos moldes da arquitetura Romanesque Revival, datada de 1896 e possui 104 metros de altura. Mesmo após a desativação e  declaração do prédio como monumento histórico nacional ele ainda abriga as cortes da justiça.   Já a nova prefeitura, inaugurada em 1965, desenhada pelo arquiteto finlandês Viljo Revell. O complexo de edifícios faz referência à imagem de um olho, com dois edifícios semicirculares representando as pálpebras com um grande recinto de reuniões no centro, que faz as vezes da pupila. Lindíssimo. Em frente ao complexo existe uma praça (que estava sendo reformada durante a minha visita) que serve de pista de patinação no gelo durante o inverno!

Vou ficar devendo pra vocês o que prometia ser a parte mais divertida do passeio: por conta do feriado nacional vários museus estavam fechados e foi possível apenas admirar algumas fachadas. E eu que tinha deixado um dia reservado pra visitar todos eles acabei fazendo o roteiro mais rápido que o esperado.  Temos em sequência então: The Bata Shoe Museum, Art Gallery of Ontario, Spadina Museum e Casa Loma.
DICA: Esteja mais atento que eu e verifique o horário e datas de funcionamento das atrações.

Aproveitando o restante do dia livre aproveitei para explorar um pouco mais Toronto. Isso incluiu uma visita ao Ontario College of Arts, ao campus da Universidade de Toronto (incluindo a Hart House)  e a um lugar fofíssimo e chiquetésimo: Yorkville, um pequeno e charmoso distrito de compras e hospedagem onde circulam os famosos e endinheirados visitantes e moradores de Toronto. O Starbucks, que fica grudadinho ao hotel Four Seasons foi eleito o melhor spot para avistar celebridades. Eu particularmente não vi nenhuma :(. O destaque, na minha opinião, foi a loja de decoração Teatro Verde. Uma belezinha pra encontrar presentinhos fofos!

No penúltimo dia de Toronto aproveitei pra conhecer a região de Niagara Falls, que pelo volume de coisas e belezas a ser vista foi o ponto alto da aventura! Então já sabe né? Logo esse passeio estará com um post dedicado a ele! Prometo!

Corrida a visita né? Também achei! Queria ter ficado pelo menos 15 dias pra aproveitar em detalhes todas as atrações dessa cidade encantadora.  No último dia em Toronto ainda corri pra encontrar uma amiga virtual super gente boa e já super canadense: a Marcela.  Almocinho básico no Jack Astor’s da Yonge & Bloor e fui correndo empacotar as coisas pra pegar o voo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s